Assista à versão quarentena de “Mother” com Waters e banda

Waters-Mother-Pink-Floyd-Quarantine

“Distanciamento social é um mal necessário no mundo da Covid. Assistir ‘Mother’ me lembra o quão insubstituível é a alegria de estar em uma banda.”

Com essas palavras, Roger Waters divulgou domingo uma versão com distanciamento social de “Mother”, do Pink Floyd, com o baixista apresentando o clássico do álbum The Wall acompanhado através de vídeos pelos músicos de sua turnê.

Waters programava começar os shows da This Is Not a Drill nos Estados Unidos em julho, mas a pandemia de coronavírus forçou o adiamento da turnê toda para 2021. No entanto, Roger e companhia fornecem aos fãs nesse vídeo um gostinho do que podemos esperar no próximo ano com a versão em banda completa de “Mother”, com todos os membros da equipe se apresentando em seu respectivo estúdio em casa.

  • Reparável que (em 1min54) a pergunta da letra “mãe, eu devo confiar no governo?” é seguida da citação apenas labial de “no fucking way“, que estava presente na turnê “The Wall Live (2010-13)“.

Nem-Fodendo

Durante sua quarentena, Waters também entregou versões de “Paradise“, de seu falecido amigo John Prine, e “The Right to Live in Peace“, de Victor Jara, com letra adaptada citando Rio de Janeiro e Bolsonaro.

Enquanto isso, Gilmour tem presença regular na transmissão ao vivo da “Família Von Trapped”, como são chamados por sua esposa (austríacos cantores que inspiraram musical e filme “A Noviça Rebelde”), interpretando músicas de Leonard Cohen e Syd Barrett.

Na última edição da revista Rolling Stone (link em inglês), Waters discutiu sua amizade com Prine, seus preparativos para a turnê de 2021, sua vida em isolamento e uma fracassada reunião de paz do Pink Floyd em 2019.

“Não paramos de trabalhar”, disse Waters. “Não paramos nem por um segundo. O show é parte apresentação de rock & roll em arenas e parte cinema. É baseado nessa ideia que nós estamos divididos entre as classes dominantes, que caracterizo como vivendo na iCloud. Eles vivem no céu – está tudo branco lá em cima, e eles vivem com muito luxo. E depois há o mundo subterrâneo, onde o resto de nós se desloca, desconfortavelmente entorpecidos [referência invertida à música ‘Comfortably Numb’].”

Se você espera que toda essa criatividade induzida por quarentena possa inspirar uma reunião do Pink Floyd quando as coisas voltarem ao normal, não tenha muitas esperanças. Na mesma entrevista, Waters disse que a ideia de tal retorno “parece horrível”.

Fontes: YouTube, Rolling Stone, Consequence of Sound.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *